Segundo maior bioma da América do Sul, o cerrado – que é celebrado dia 11 de setembro – ocupa uma área de mais de 2 milhões de quilômetros quadrados, ocupando cerca de 22% do território nacional. Ele pode ser encontrado nos estados de Goiás, Tocantins, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Bahia, Maranhão, Piauí, Rondônia, Paraná, São Paulo e Distrito Federal, além de ter resquícios de sua vegetação no Amapá, Roraima e Amazonas. Além de ser rico em flora e fauna, esse ecossistema é uma verdadeira caixa d’água do Brasil, e sua preservação pode ser essencial para o futuro do abastecimento no país.

As reservas subterrâneas de água doce encontradas no cerrado abastecem as principais bacias hidrográficas do país: Amazonas, Tocantins/Araguaia, São Francisco, Paraná e Paraguai. Essa riqueza hídrica tem um papel fundamental no abastecimento humano, na geração de energia e na produção agrícola. “A conservação do bioma e a gestão territorial são elementos necessários para garantir água para o Brasil. É necessário frear imediatamente o desmatamento e ampliar a quantidade e tamanho das unidades de conservação”, diz a WWF, organização não governamental dedicada à conservação da natureza, em nota à imprensa.

Nas últimas décadas, de acordo com dados do Ibama e Ministério do Meio Ambiente, houve uma redução de 48,4% do cerrado. A taxa de desmatamento anual é de 0,69%, maior até que a da Amazônia e dos demais biomas brasileiros. Se o ritmo continuar acelerado, estima-se que num prazo de 40 a 50 anos haverá o completo desaparecimento de seus recursos florestais. Atualmente, apenas 3% desse bioma está efetivamente protegido em unidades de conservação.
As ameaças podem afetar diretamente mais de 11 mil espécies de plantas, das quais 45% são endêmicas (exclusivas deste bioma), e 2.500 espécies animais. O Cerrado é biologicamente a região de savana mais rica do planeta, sendo responsável por 5% da biodiversidade mundial e 30% da biodiversidade brasileira. Ocupa um quarto do território nacional e é um importante elo entre outros quatro biomas brasileiros (Amazônia, Caatinga, Mata Atlântica e Pantanal).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *